quinta-feira, maio 04, 2006

Dor

(fotografia da net - olhares.com)

Tenho 4 filhos...

( As lágrimas corriam-lhe pela cara abaixo... falavam da saudade, do desespero, da dor...

Dos 4 só vê um de vez em quando e nem sempre é pacífico...

E, de repente, tive que fazer um esforço para responder - fique bem, não chore... e dentro de mim um nó começou a formar-se...

Filhos... um dia também serão idosos... onde está o AMOR? )



28 comentários:

sendyourlove disse...

Como é possível? O que é que os pais fizeram de tão errado para merecer tal abandono?
Este tema revolta-me porque é muito actual no meu seio familiar.

missixty2000 disse...

Penso muitas vezes nisso!!Será que eles se lembrarão do carinho que lhes dispensamos!!Das noites sem dormir!!
Mas por vezes os pais tb tem culpa, no afastar dos filhos!!
Quando alguém de idade mete conversa comigo, na rua ou num café, tento ter sempre um pouco de tempo para os ouvir!!Imagino-os solitários e tento dar-lhes um pouco da minha companhia!!

Zica Cabral disse...

podes crer. Tenho tido agora a experiencia disso com o meu ex marido e a minha fiha. Ele teve um AVC enquanto estava a passar o fim de semana em casa dela. Um Pai activo e que ajuda em muito coisa está bem agora um Pai doente e que nem pode guiar porque os olhos foram afectados.........já não há pachorra. Agora está com outro filho que o trata lindamente mas com a filha, a quem ele sempre pôs acima de tudo....era bastante maltratado.
Há jovens muito crueis e eu peço a Deus que nunca me faça depender da minha filha..................

sofyatzi disse...

O amor está à nossa volta. No entanto, nem todas as pessoas o expressam da mesma maneira. Há quem tenha amor pelas pessoas e o demonstre,há quem tenha amor por coisas,há quem tenha amor apenas por si mesmo. Acho que neste caso os filhos apenas têm apenas amor por si mesmos. Onde estão eles quando são precisos? Sabe-se lá!
Esquecem-se que estão no Mundo garças à mãe (e ao pai). Mas, muitas vezes, o que leva certas pessoas a esquecerem os seus progenitores? Como é que foram tratados na sua infância? Há tantas questões que podem responder ao que leva os filhos a abandonarem os pais....

Elisheba disse...

A FRIENZA está a tomar conta do Ser Humano.Muitas vezes nem importa se receberam carinho ou não, protecção e compreensão ou não. Não há mais AMOR verdadeiro nem pelos pais.

" O SEU DEUS É A SUA BARRIGA"

SPECTATOR disse...

ja trabalhei num lar, alguns anos, e agora tenho duas velhotas em casa para ajudar, sei muito bem do que falas.
Infelizmente muitas vezes nem no natal, nem ao telefone!
mas é o mundo q temos, ninguem precisa de ninguem não é? ou talvez não!

Alentejano disse...

Zangado contigo porque ??

Não percebi, explica-me como se fosse muito burro...

jinhos.

mariajoaozinha disse...

já tenho novidades no meu blog...
quanto a este txt, prefiro nem comentar. é um assunto que me revolta bastante...
bjos!

Bikoka disse...

Obrigado pelo beijo Amigona.

Um beijo para ti também.

Bikoka Frita

Ana P. disse...

Como compreendo.

Fui educada pelos meus avós. Foi uma dor tremenda assistir á partida do meu avô.
A minha avó continua envolta no meu carinho, dedicação e AMOR.

Piquinota disse...

Fico muito triste e perturbada com estas situações!!
Peço muito a Deus para que não me deixe tornar-me numa pessoa assim fria , mal-agradecida e indiferente...

Jinhos

Hindy disse...

Não entendo com os filhos conseguem ser tão frios e insensíveis para com os seus pais... para mim isso é impensável! Mas isso sou eu, claro... :)
Os meus são tudo para mim, a minha vida...

Vivis disse...

E triste ver com anda as estruturas familiares, a compreenção, o amor ...
ainda há esperança .
Beijo

chuvamiuda disse...

.....muito complicado, mesmo muito complicado, conjugar as vidas, sabemos que muitas vezes o filhos também andam pelas rus da amargura, mas dói.....

Beijinhos

Tia Cremilde disse...

Que bom que era se todos pudessemos experimentar um dia no lugar de muito avô e muita avó que infelizmente vive isolado e sozinho... era capaz de ser produtivo!

a lice disse...

De facto... custa-me pensar neste abandono... Vou lutar para que isso não suceda, de nenhuma forma, com os meus pais!

Sara MM disse...

:o(

o melhor é nem pensar nisso :o\

jorgesteves disse...

Este assunto é seara onde não quero meter a foice (talvez em 'autor' no meu blog aflore as razões), no entanto e porque li alguns dos comentários aqui (de alguma forma a corroborar muita opinião generalizada que se lê e ouve sobre o assunto) parece-me importante que qualquer análise que se intente sobre o assunto não parte do estereótipo do 'filho(a) ingrato(a) e do pai ou mãe coitadinho'. A desumanização familiar é um fenómeno bipolar que se manifesta em ambos os sentidos. Outro estereótipo communmente associado é a colagem do estrato social ou cultural implícito na tendência para a desagregação familiar, o que, também, me parece ser uma perfeita bacoquice.
De quaisquer formas é-me absolutamente indiscutível o respeito e a solidariedade por quem sofre este tipo de desamor!
um abraço, amiga!
jorgesteves

dina disse...

hoje um colega meu disse uma grande verdade: "trata bem os teus filhos, porque senão nem um lar te vão arranjar"
eu já estou convencida que assim será, mas penso que os meus pais ainda não e eu não consigo pensar como é que vou trabalhar e ficar em casa com eles ao mesmo tempo

alfazema disse...

Querida amiga

Infelizmente é assim e alguma vez, espero,deixará de o ser. Ouvi muitas vezes , à lareira, contada pela minha avó uma história comovente de um filho que se preparava para abandonar o pai e terminava assim: " Filho és , pai serás, como fizeres assim acharás.". Infelizmente muitas vezes não sabemos fazer a sementeira e colhemos aquilo que semeámos. Nunca deveria ser assim. Aos pais, aos nossos avós, tudo devemos e por uma questão de respeito pelo ser que nos deu a vida, porque a gratidão é muito bonita, porque a solidariedade nunca deverá ser esquecida, é obrigatório mudar esta sociedade enquanto é tempo ,incutindo-lhe o respeito que tarda em chegar.
Beijinhos amiga linda.Outro para a neta.

andre rodrigues disse...

Os idosos são tendencialmente pessoas solitárias. Já não bastavam as agruras da vida (que no tempo deles foi muito mais dificil que a nossa) e ainda por cima acabam abandonados por aqueles que eles próprios geraram e educaram. É triste mas é um reflexo da sociedade que temos. Num trabalho que fiz uma vez, andei à procura de casos de abandono de idosos nos internamentos hospitalares... isto é pessoas que já tiveram alta médica, mas os familiares ainda não foram buscá-los. Se soubessem a crueldade dos números arrepiavam-se como eu me arrepiei. E o pior de tudo: é que o número de abandonos aumenta nos períodos de férias (verão principalmente) e nas épocas festivas (Natal, Páscoa)... E é que não há meio de sensibilizar os familiares para o problema. Também pudera: uma pessoa que tem a 'sensibilidade' suficiente para abandonar uma mãe ou um pai numa cama de hospital, terá SENSIBILIDADE para mais alguma coisa?

Um outro olhar disse...

a velhice custa quando chega, ...custa mais quando parte dos próprios filhos a rejeição dos mais velhos, eles sentem e nada lhes pára a dor que provoca

:)

Lilis disse...

E lá apareci...Bjocas... ;)

papoilasaltitante disse...

Pois... Aí está uma questão muito complicada! A nossa cultura é muito pouco dada ao respeito pelos idosos, coisa que me revolta bastante. Por outro lado os nossos próprios idosos têm uma cultura de velhice que nem sempre ajuda a superar alguns desse fossos geracionais. Sentem -se velhos e pensam que a vida acabou. Ao contrário de outros países onde vemos os idosos encararem a velhice como outro passo na vida. Isto tem a ver até com a forma como os idosos, principlamente na provincia se vestem.. de preto ou de escuro... É uma pena!!
O nível de vida deste país é também mais um factor a analisar... se chegas a velhinho sem uma pensão em condições...que te garanta alguma independência...

Mas são os idosos que temos, e em vez de lhes melhorar as condições de vida... esquecemo-nos deles... como se eles ao sairem da nossa vista saíssem automaticamente da nossa vida...
Bjs

poca disse...

filhos... um dia também serão idosos...
não acho que se deva tratar bem os velhos, só para que quando chegue a nossa vez também nos tratem bem a nós.
Acho que devemos tratar bem os velhos como os novos.. e ter paciência e disponibidade para ajudar quem precisa e quem podemos...

Catherine disse...

O rancor e a mágoa é a doença deste século.
Muitas mortes em família.
Muita gente já morreu e não sabe.
A alma esta morta, triste, cheia de sentimentos ruins.
Isto reflete na família.
Beijos,
Cath !

Sandra disse...

Depois de sermos mães pensamos mais nestes assuntos! E até damos muito mais valor aos nossos pais!
Oxalá nunca ter que passar por situações destas!

Um beijinho para todos

Anónimo disse...

Wonderful and informative web site. I used information from that site its great. »