quinta-feira, dezembro 25, 2008

Abandono

(google)


Não abrimos nenhum telejornal...não fomos destinatários de nenhuma campanha de solidariedade...ninguém deu por nós...mas quando a maioria estava em sua casa, no aconchego do seu lar, muitos falando em amizade, paz e amor, fomos por algumas casas procurando dar algum conforto e deixar uma palavra amiga...

Naquela casa que cheira a bafio, onde a água escorre pelas paredes e o cheiro é insuportável, onde não há casa de banho nem esquentador, fomos encontrar os dois velhotes sozinhos...soubemos que o filho tinha passado por lá...deixou meio bolo -rei, algumas filhoses e foi embora descansado porque tinha que cumprir o Natal com o resto da sua família...é nestas alturas que eu gostava tanto de ter uma varinha de condão...

8 comentários:

Maria disse...

Quando é que o governo olha para estas pessoas com preocupação e o respeito que nos merecem?
Quando é que os nossos velhos terão um final de vida condigno e acolhedor?
Quando despertarão as consciências?

Um abraço enorme, Amigona

Sophiamar disse...

Histórias tristes como esta não faltam, amiga. Quem falta são aqueles que como tu abdicam do seu Natal em família para o passar com quem tem a infelicidade de ter sido votado ao abandono, ao ostracismo.

Bem-hajas, amiga!

Mil beijinhos

elvira carvalho disse...

Sempre me preocupou o pouco caso que muita gente faz dos seus entes queridos. Não sou capaz de aceitar isso com resignação.
Bem Haja por ser assim.
Um abraço

Menina_marota disse...

Partilho quase na "clandestinidade" muitas dessas atitudes.
Não abro telejornais, mas abro o meu coração ( e não só) aos que de mim vão precisando no decorrer do ano.
Solidariedade é estar presente, mesmo que incógnitos, nos diversos momentos daqueles que não têm o conforto, nem o quente do amor de quem, como seria natural, lhes nega essa afeição.

Esta é uma luta a que me entrego já há alguns anos e que prezo mais do que qualquer outro bem de que disponha na Vida...

Um abraço carinhoso e uma feliz e fraterna entrada em 2209

Filoxera disse...

Como é que é possível???
Que revolta, amiga!
beijos.

Peter Pan disse...

Genial Amiga:
Uma homenagem sensível e linda ao Natal dialogando com Deus sobre a realidade existencial daqueles que não têm Natal. Com pureza e beleza. Entendo o texto delicioso, assim! Por merecer. A pensar nos amigos e no amor que tem para dar e receber. No bem-estar que vê neles! Um poetizar descrito em forma e em atitude pessoal. Que difunde um gesto lindo, sensato e sóbrio. Autêntico!
Tudo de maravilhoso e fantástico.
Excelente 2009 com ternura e carinho.
Beijinhos amigos sempre respeitadores e sinceros.
O AMIGO daqueles autênticos, sabe?
Maravilhado pelo seu encanto nesta sua atitude admirável e de uma enorme sensibilidade literária humana e poética fabulosas e profundas que tocam...

peter pan

É um docinho lindo. Desculpe!
Tenho um texto algo idêntico ao seu delicioso e doce poetizar no meu blog: Memórias Vivas e Reais)...

Grato pela sincera e plena amizade para comigo...

tulipa disse...

Haja a esperança que em 2009
Isso aconteça
São
As Esperanças
E os sonhos
Que nos fazem
Acreditar num Amanhã
Numa vida melhor, principalmente com Saúde.

É em forma de árvore de Natal, pinheirinho, que brinquei com as palavras, fazendo votos de um excelente 2009.

Peço desculpa de ter chegado já depois do Natal, mas tenho 2 pessoas muito queridas muito mal, hospitalizadas; se tiver paciência de ler o meu ultimo post "Estou triste" poderá perceber o meu espírito de momento...

Odele Souza disse...

"Meio bolo-rei" foi tudo o que o "sensível e carinhoso"filho deixou?! - Ai que me dá uma revolta quando vejo idosos mal ou em nada cuidados pelos filhos. Ai, que me dói imaginar a cena que descreves, amigona.

Um abraço pra ti querida.