sábado, abril 19, 2008

Solidariedade




Foi há alguns anos atrás...demasiados talvez...dava aulas no Cacém (Sintra)...no meio de uma dezena de professores "Joana" destacava-se pela sua magreza mas, também, pelo semblante triste...não se sabia muito bem o que se passava com ela mas adivinhava-se uma doença ruim...fazia-lhe companhia no intervalo...juntava os seus alunos com os meus nas muitas vezes que ela faltava...quando voltava o seu olhar de gratidão enchia-me a alma...passou-se um período em que mal a vi...voltou...achei o seu olhar ainda mais triste mas fiquei contente quando me convidou para almoçar...


"Joana" abriu a alma...falou-me do tempo em que esteve em França e na aventura com um namorado da altura...falou-me da doença...falou da solidão...do medo...falou....falou...lembro que as lágrimas caíram...as minhas também...


Continuou a faltar..."Joana" era de Viseu...não a vi no 2º período...em Junho recebemos a notícia da sua morte.


Foi assim que contactei com a Sida...ali a meu lado na voz duma colega que não era mais do que isso,mas que precisou de alguém para estar a seu lado...pouco sabia na altura mas houve uma coisa de que não tive dúvida nenhuma: aquele ser humano precisava da minha solidariedade...e foi isso que aconteceu naquela tarde que passámos juntas...

20 comentários:

Maria disse...

Precisam de tudo, Amigona. De um olhar, de um abraço, de uma conversa, de compreensão, de um beijo.
Há 16 anos o primeiro dos meus amigos infectados partiu. Numa quinta feira, no H. Sta. Maria. Eu ia buscá-lo à sexta e levá-lo ao domingo à noite, para ele passar o fim de semana em casa. Num domingo em que o deixei lá, no quarto do 6º piso, olhou-me e disse-me "obrigada e adeus". Dei-lhe um beijo. Sabia que era o último....

Nem sei como fui capaz de escrever isto. Nãõ vejo o teclado....

Beijos

SILÊNCIO CULPADO disse...

Amigona
Bem hajas por a teres conhecido e reconfortado. Um texto muito comovente e um belo contributo pela veracidade.
O que mais me choca no HIV é a solidão.
Abraço

Paulo disse...

De braços abertos e mãos estendidas, rolam-me lágrimas pela face, enquanto leio este texto, de fora para dentro, e o sinto de dentro para fora. Parabéns pelo testemunho, que revela a realidade de muitas, tantas, milhares de realidades, que todos os dias, deambulam pelo planeta terra, em busca de esperança e de dias melhores. Revejo-me na história de Joana, na sua essência. Obrigado Amigona Avó e neta princesa pelo Vosso contributo.

Anónimo disse...

...um imenso e apertado abraço!!!!

vovó Maria

ps: os mal-me-queres continuam lindos! só não dá para ver as ternas mãzinhas da Catarina Princesa...

Sophiamar disse...

Amiga Querida, Mana do Cora�o!

Passou-se comigo um caso semelhante.Era um rapaz. Triste, muito triste que emagrecia de dia para dia. Estive sempre ao seu lado.Nunca me falou da doen�a mas eu sabia-o. Aquele caf� que tom�vamos juntos, s� os dois, algumas vezes por semana, tinha um sabor diferente. Para ambos! A amizade andou sempre no ar. At� ao fim.

Beijinhosssss Querida amiga.

São disse...

Pelo menos, teve a consolação de te encontrar!
Bem hajas!

Brancamar disse...

Conovente esta história, emocionei-me do princípio ao fim, mesmo antes de ler qual era a doença, porque a solidão e a doença precisam sempre de solidariedade, seja ela qual fôr, mas claro que estes doentes se isolam mais pelo receio da discriminação.
As Margaridas brancas são uma maravilha, fazem-me lembrar a minha avó que gostava muito delas.
Obrigada à Catarina e um beijinho para ela e que ela guarde sempre no coração a avó como um tesouro tal como eu guardo a minha.
Bem hajas.
Beijinhos

samuel disse...

Se todos os portadores do vírus tivessem alguém assim na família ou entre os amigos, os finais da história não seriam talvez muito diferentes, mas por vezes seria aquilo que separa um quarto às escuras de outro com uma pequena vela acesa...

Abreijo

Odele Souza disse...

Amigona,

Com certeza saiste mais rica desse teu encontro com Joana. Foi bom pra ela, foi bom pra ti e agora está sendo bom para nós que te lemos, pela emoção que noz fazes sentir e pelo exemplo de solidaariedade que nos dás.

Gosto muito de ti Amigona.

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá minha querida Amiga, não sei o que dizer, perante tamanho e deloroso testemunho... Só lhe digo,
obrigada em nome de tantas pessoas que padecem do mesmo mal e precisam muita vez de uma palavra amiga e não a tem...
Um bom fim de semana!
Beijinhos do coração para si e para a neta também,
Fernamndinha

SILÊNCIO CULPADO disse...

Amigona
Por aqui passo e deixo meu abraço.
O meu duplo abraço neste traço.

tulipa disse...

Olá Amigona Avó
o teu bom coração acolhe qualquer alma penada, bem que estou a precisar de encostar a minha cabeça no teu ombro e chorar...

A minha vinda aqui hoje, é para convidar para o cocktail que ofereço, durante todo o fim de semana. Estarei à vossa espera, num lugar magnífico que reservei.
No entanto durante todo o dia, as bebidas estão à disposição bem como este ano uma surpresa...

Bom fim de semana.
Beijos e abraços.

Maria disse...

Passei para te deixar um abraço forte,

e um beijo.....

Sophiamar disse...

Minha Querida Amiga Grande

Estou aqui, ao teu lado, para te sentir , te ouvir e receber o ânimo que sempre daqui levo. És formidável! És a minha doce mana do coração.

Beijinhossss

Bem Hajas!

Bom Domingo!

DE-PROPOSITO disse...

A complexidade da existência. E a complexidade de se haver nascido. Tudo o que existe faz parte do mundo, assim como as ervas boas e as ervas más.
Fica bem.
E a felicidade por aí.
Manuel

Servidores disse...

Hello. This post is likeable, and your blog is very interesting, congratulations :-). I will add in my blogroll =). If possible gives a last there on my blog, it is about the Servidor, I hope you enjoy. The address is http://servidor-brasil.blogspot.com. A hug.

Ana Patudos disse...

Li com atenção e emoção. Eu já sabia que tinhas um coração grande.No mundo tem de existir pessoas assim, por espalharem amor e carinho e atenção.
beijinhos
Ana Paula Quinta
Temos o sobrenome parecido :))

Lisa's mau feitio disse...

Minha Avó tão fofinha...

Saio com a sua Joana querida no coração...

Beijos de amor para si, querida...

Lisa

:\

avelaneiraflorida disse...

Querida Amigona,

Solidariedade não escolhe momento, pessoa, cor, dia...
Mais uma vez um testemunho que vale mais do que mil campnhas de publicidade!!!
Brigados pela partilha!!!
Bjkas!

Melões Melodia disse...

Os meus meninos do hospital sao todos seropositivos. Convivo com a doenca diariamente, talvez porque ja a tive muito perto de mim.
Por isso dedico-lhe tempo.
Nao e uma doenca que me faca pena. Nem de longe nem de perto. Mais do que a doenca, que nos dias de hoje e controlavel com medicacao, tornando-se quase cronica, o grande problema e a ignorancia e os juizos de valor. Dai a solidao.
Pelo medo da ignorancia e do julgamento daqueles de quem esperam ajuda.
Mas sabes, adoro os meus meninos. Felizmente ate me esqueco da doenca que os atinge que mais do que uma doenca fisica, e uma doenca social.
Beijo