domingo, dezembro 02, 2007

Solidariedade II


A nossa casa! O nosso lar!

Há um mês que lá estamos...há MUITO, MUITO por fazer...


temos muita VONTADE, muita CONFIANÇA e

MUITO AMOR e CARINHO...

Sei pelos vários comentários que têm chegado


quando falo no lar que muitos de nós acham que lar

é sempre abandono de idosos!

Não, não é!

Muitos idosos estão melhor connosco do


que em suas casas! Muitos deles NÃO têm casa...

muitos deles NÃO têm família...ou, tendo família,

mais valia que não tivessem!

O que importa é que as famílias


procurem um lar que seja uma CASA!

O que importa é que os nossos idosos sejam FELIZES
!

21 comentários:

Sophiamar disse...

Acredito que o teu lar tenha muito calor humano porque tu és " uma fogueira de amor e carinho" mas há muitos que o não são. Espero que esses sejam raros porque sei que muitas pessoas estão muito melhor nos lares do que em casa.A sua existência veio minimizar o sofrimento de muitas famílias que estimam os seus idosos e não têm meios para os ter em casa. Todos sabemos que a idade traz dependência e que muitos casais trabalham longe de casa e não têm outro recurso que não os lares. Não tenhamos o preconceito de que lar é casa de abandonados.Colaboremos com todo o pessoal das instituições e denunciemos casos de negligência se for caso disso. Mas, por outro lado, elogiemos aqueles que tudo fazem em prol dos que têm a seu cuidado.
Beijinhos minha grande amiga.

Maria disse...

Não costumo ler os comentários antes de comentar. Às vezes até digo coisas já ditas.
Mas neste caso tive que ler o comentário da Sophiamar. Não me perguntes porquê, li-o como complemento do teu post.
E não me vou repetir. Só quero dizer uma coisa: quando chegar a minha altura, eu quero ser velha, e não idosa... gosto mais da palavra velha...

Beijinhos

Bianca disse...

excelente espaço:)

deixa me aconselhar te um livro fantastico:

http://www.livapolo.pt/index.php?action=artigo_detalhes&artigo_id=65329

beijo;)

Patsy

marias disse...

Ainda bem que vemos que há Lares onde reina amor para com as pessoas idosas, que por algum motivo tiveram que ir para lá.

E que bonita é a frase com que terminaste " o que importa é que os nossos idosos sejam felizes!".

Quando for velhinha, e sabe-se lá se não tem que ser antes da velhice, quero encontrar lares como o teu, onde se possa acabar o resto do nosso percurso, neste mundo de cá, com um sorriso.

Mil beijinhos para ti e teus idosos ou velhinhos (tanto faz, são adoráveis, é como se fossem meninos de novo).:))))))

Um Momento disse...

Sim...
O que importa é mesmo isso
Que os nossos idosos sejam felizes e tenham as condições minimas para uma existência em que possam viver a sua já cansada vida , em Paz e Harmonia
Abraço-te com imenso carinho
Obrigada por seres como és!
Bem Hajas
Sopro um beijo ao teu coração
(*)

Jose Gonçalves disse...

Querida amiga
Particularmente sempre me foi difícil falar em lares de idosos por tudo o que eles representam.
A ideia que sempre fiz deles foi a de que eram depósitos dos nossos idosos e essa imagem não me era agradável.
Mas um dia, as coisas alteraram-se, porque tivemos necessidade de encontrar um local condigno para que o meu sogro tivesse os cuidados que nós não lhe podíamos prestar.
Aqui em São Martinho do Porto temos a Fundação Manuel Francisco Clérigo, que presta a toda esta comunidade um serviço social de relevo.
Não foi porém la´que o meu sogro acabou os seus dias porque não tivemos vaga. Por isso tivemos de procurar outro local com a dignidade e a assistência que ele necessitava. Encontrámos em Famalicão da Nazaré esse espaço e em boa hora.
Sempre quisemos que ele estivesse connosco, mas saíamos de manhã e entrávamos em casa à noite e essa dificuldade obrigou-nos a procurar outra solução. O nosso Bernardino não podia continuar assim. Por duas ou três vezes, quando chegámos a casa, estava caído sem se poder levantar.
Arranjar alguém era uma solução, mas não encontrámos ninguém que nos oferecesse confiança para isso.
Hoje estamos convencidos que o meu sogro não teria vivido tantos anos mais se não tivesse-mos encontrado a solução.
Éramos visitas quase diárias, e o nosso homem partiu quando a sua hora chegou. Em paz com ele e connosco. Já lá vão uns anos e ainda hoje visto o lar onde ele esteve pois somos convidados para as festas que lá se dão.
Costumo brincar com a D. Antónia, a mãe daquele lar, dizendo-lhe que me reserve o quarto da frente.
Hoje, embora continue a pensar que muitos dos nossos idosos são "depositados", tenho uma imagem diferente do que vivi quando deles precisei.
Também os meus pais tiverem de utilizar os mesmo recursos, mas neste caso foram eles mesmo que sem saber-mos o procuraram e foi assim que passaram os últimos anos das suas vidas, juntos, com muito amor, numa Instituição,na terra de meu Pai.
Bem haja quem tem o coração do tamanho do mundo e agarra com as duas mãos esta tarefa de solidariedade, carinho e amor, como tu o fazes.
Obrigado amigona avó. Serei sempre um amigo ao teu dispor.
José Gonçalves

SILÊNCIO CULPADO disse...

Penso que este lar tem toda a ternura que os idosos precisam nesta fase da vida em que parecem sobrar em todo o lado. Antes viver num lar onde se é amado que sentir que se está a mais e não se é desejado. Mas mesmo quando os filhos querem corresponder há todo um mundo de impedimentos. Casas pequenas e inapropriadas para idosos. Horários alargados e trabalhos a grandes distâncias do local em que se vive. Os próprios filhos ficam muitas vezes abandonados à sua sorte, que dizer dos pais? E quando chegam a casa, cansados por um dia de trabalho escravo e com as lides da casa por fazer, como podem cuidar ainda de pessoas dependentes fisica e emocionalmente? Vivemos em sociedades violentas e as sociedades violentas desenvolvem sentimentos também eles pouco afectivos.
Num lar as pessoas podem sentir-se mais acompanhadas e mais amadas porque há pessoal especializado e disponível para esse acompanhamento além de que há também todo um conjunto de equipamentos que facilitam estas acções. Eu tenho a minha mãe comigo. Ela está óptima e não é dependente. Não penso vir a pô-la num lar. Só se de todo não pudesse. Mas já em relação ao meu filho penso de maneira diferente. Embora me dê bem com ele não gostaria, depois de tê-lo amado tanto e ter feito tudo por ele, impôr-lhe todo um conjunto de limitações que desgastam emocionalmente quem para elas não está preparado. Pessoalmente prefiro ir para um sítio como esse.
A tua obra é maravilhosa. Que Deus te dê sempre forças para a continuares. Pessoas como fu fazem falta.
Um abraço, amiga

São disse...

É-me difícil abordar este tema,porque nada é linear nem tão simples como à primeira vista parece!
Existem pessoas idosas abandonadas e maltratadas e nunca será demais denunciar essas situações!!
Mas também existem filhos e filhas vítimas , e de que maneira!! Porque determinadas têmperas refinam com a idade e martirizam tudo quanto as rodeia, sem dúvida!
Bem hajas pelo teu trabalho com esta população!!

Alma Minha disse...

Adorei ver o Slide do Lar!!!
Acredito que este Lar tem muito amor para dar...fico feliz que assim seja!
Beijos do fundo da Minha Alma

Rosa Maria disse...

Como em todas as coisas há o Bom o menos bom e o mau.
Os lares não fogem à regra!
Assusta-me sempre a ideia de termos de pôr os nossos velhos em lares, mas as contigências da vida actual a isso obrigam.
Revolto-me muito contra os preços que se praticam tendo em conta as reformas dos nossos velhos e também da pouca disponibilidade dos descendentes.

Beijinhos

selenis disse...

Felizmente existem lares onde os nossos idosos podem ter uma velhice confortável. Mais do que poderiam ter em suas casas, mais do que a família lhes poderia proporcionar, mesmo bem intencionada.

E o teu só podia ser assim :)

poetaeusou . . . disse...

*
amigona
*
bem hajas . . .
,
tenho a certeza,
que os nossos (teus)
idosos serão felizes,
na tua casa,
,
xi
*

pikenatonta disse...

Obrigada pela visita no meu cantinho! Gostei muito do blog, tenho que vir aqui com mais tempo... :)

Beijinhos!

a.filoxera disse...

Um lar é, tantas vezes, a alternativa à casa. Quando já se esgotaram as reservas de nergia de quem cuida das pessoas que já não podem cuidar de si próprias.
Tive uma experiência devastadora como filha de um doente de Alzheimer. Torço para que os lares se vão tornando, todos eles, casas de conforto e carinho, sem excepção.
Beijos.

avelaneiraflorida disse...

Querida Amigona,

Este será um lar especial, porque se "sente" nas tuas palavras o carinho com que te entregas a ele e aos que nele vivem!!!!
Mas a maioria dos casos não é assim!
A minha mãe estará comigo enquanto viver...ou enquanto eu viver!
Já o mesmo não sucedeu com outros membros da família, e testemunhei algo que NÂO quero que a minha mãe sofra!!!!
Por isso, peço aos meus "besouros" que serão futuros técnicos de AcçÃO SOCIAL...que nunca esqueçam a sua humanidade quando estiverem no seu local de trabalho!!!!
Força, para esse VOSSO TRABALHO!
BEM HAJAM!!!!!!!

SILÊNCIO CULPADO disse...

Vim dar-te um beijinho e fazer mais uma visita a este espaço de afectos profundos.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Vim dar-te um beijinho e fazer mais uma visita a este espaço de afectos profundos.

Agulheta disse...

Amigona. Lindo os Slides do Lar!! adorei aqui se pode ver que a união faz a força,logo que as pessoas se sintam amadas,vale a pena lutar por algo que nos completa,este caso tudo vai para velho,hoje se é novo e amanhã?
Beijinho de amizade Lisa

Carminda Pinho disse...

O que importa amigona, é que ainda vai havendo gente boa e solidária como tu.

Beijinhos

Sophiamar disse...

A manhã está a acontecer em breve. Ainda vejo bem iluminada a lua, em quarto minguante, e ,um pouco acima , à sua esquerda, a estrela d`Alba num céu que se adivinha, em breve, azul mar.
Deixo-te mil beijinhos e vai continuando a sementeira. Mereces colheita abundante.
Gosto muito de ti, mana querida. O Cusco fez post de despedida. Deixou-me, não pela despedida, que aí eu o apanharei, mas pelo conteúdo, completamente derramada.
Tem um bom dia!

Aspásia disse...

CHEGO TARDE MAS AINDA A TEMPO DE FICAR AO MESMO TEMPO ALEGRE E COMOVIDA COM ESTAS IMAGENS!
ALEGRE POR VER QUE HÁ SITIOS COMO O TEU LAR, EM QUE ESSE NOME FAZ SENTIDO!
EMOCIONADA POR VER NESSAS VELHINHAS DE HOJE AS "MENINAS" QUE POR ENQUANTO NÓS AINDA SOMOS MAIS OU MENOS...

BEIJÕES, QUERIDA, FORÇA, MUITA SAÚDE E ALEGRIA PARA TI E TODOS NO TEU LAR!!!