sexta-feira, janeiro 14, 2011

Liberdade

"Privatizaram a sua vida, seu trabalho, a sua hora de amar e seu direito de pensar.
É da empresa privada o seu passo em frente, seu pão e seu salário.
E agora não contentes querem privatizar o conhecimento, a sabedoria, o pensamento que só à humanidade pertence."

Bertold Brechet

7 comentários:

BRANCAMAR disse...

Muito lindo este post e muito actual. A História repete-se, mesmo que com cortornos diferentes.
Feliz por te ver regressar, já ando há uns dias para vir cá, a disponibilidade tem faltado, mas volto breve.

Beijinhos para ti e para a tua Princesa.

Branca

Maria disse...

Andava com saudades de Brecht. Pensei em colocá-lo lá ontem mesmo, mas o artigo do Fernando Samuel pareceu-me mais indicado para o dia.
No entanto Brecht não perde pela demora...
Bom ver-te aqui, Amigona!

Beijos.

lino disse...

Muito actual.
Beijos

Cata- Vento disse...

A pertinência das suas mensagens tornam Brecht intemporal. Fantástico no meu ponto de vista.

Bem-hajas, Amigona.

Beijinhos

elvira carvalho disse...

Alguns poetas e escritores são intemporais. Porque todas as suas críticas e denuncias continuam actuais durante séculos para mal do comum mortal. Brechet é um deles.
Um abraço

São disse...

B.B. é verdadeiramente alguém que fica sempre bem citar.

Um abraço, com votos de que o resultado de domingo nos alegre, isto é, que Cavaco não seja eleito!

Espaço do João disse...

Bem me parece que estamos a voltar ao tempo em que se liam os pensamentos. Se agora privatizarem também os mesmos,nada me admira, pelo rumo que as coisas estão a passar ...