terça-feira, outubro 13, 2009

Eleições

Tirei do cravo de abril


" O NEGATIVO E O POSITIVO



Com as autárquicas de ontem chegámos ao fim deste ciclo de três eleições que, realizadas no espaço de quatro meses, nos exigiram um ano (pelo menos) de intenso trabalho.




Acrescente-se a isto, o facto de estas batalhas eleitorais comportarem exigências particulares para os activistas da CDU - exigências que não se colocam aos activistas de qualquer das outras forças políticas e que decorrem essencialmente do facto de as forças que integram a CDU, e em especial o PCP, serem vistas como o alvo a abater pelo grande capital, pelos partidos que o representam e pelos média de que ele é dono.




Acresce, ainda, que paralelamente a esta exigente intervenção eleitoral, os militantes comunistas deram a resposta que se impunha à política de direita, organizando e participando nas muitas lutas dos trabalhadores e das populações - e, nos intervalos disto tudo, ainda construíram a Festa do Avante!...






Para quem tanto luta pela defesa dos interesses dos trabalhadores e do povo, é óbvio que os resultados que obtivemos nestas três eleições ficam muito, muito aquém do que seria justo - se é que a noção de justiça tem cabimento em eleições realizadas em democracia burguesa...Para quem nos fustiga todos os dias e tem como objectivo principal liquidar-nos social, política e eleitoralmente, é óbvio que esses resultados foram muito, muito além... do que eles queriam, esperavam e se fartaram, até, de anunciar...





Negativo, nas autárquicas de ontem foi, essencialmente, a perda pela CDU de 6 câmaras .Positivo, foi termos ganho três câmaras - entre muitas outras coisas positivas como, por exemplo, os resultados que, num quadro dificílimo, obtivemos em Lisboa e no Porto.




Em relação às câmaras perdidas: regra geral, perdemo-las sem que tivéssemos perdido votos, tendo até aumentado as votações. E esse é um dado sobre o qual importa reflectir.




Em Beja, por exemplo, a CDU aumentou cerca de quatro centenas de votos, e perdeu a câmara para o PS que viu aumentada a sua votação em cerca de 2 mil votos - tantos quantos o PSD «perdeu»...




Ou seja: tantos quantos se transferiram do PSD para o PS por efeito de uma espécie de entendimento tácito entre os partidos da política de direita visando derrotar a força que, de facto, combate a política de direita.



Isto faz com que a CDU, para ganhar, tenha que obter sempre mais de 50% dos votos - sendo este um grande desafio que se nos coloca no futuro.





Positivo, foi, também, o facto de a CDU se ter confirmado inequivocamente como a grande força autárquica da Esquerda - reforçando, assim, a sua condição de grande força nacional.





Quanto ao futuro... A LUTA CONTINUA!

3 comentários:

NoGuerra disse...

É a uma luta constante certo amiga??

Bjs aromáticos***

Maria disse...

Doeu-me perdermos Beja e Aljustrel.
Mas temos tantas 'pequenas grandes' vitórias espalhadas pelos país...
Agora é retomar forças e prepararmo-nos para a luta que continua.

Beijos, Amigona

elvira carvalho disse...

Por aqui tudo se manteve, como sabem. No Concelho do Barreiro há muito que só a freguesia de Coina é Socialista. E assim ficou. Santo André, Alto Seixalinho, Lavradio, Verderena, Palhais, Santo António e Barreiro, tudo se manteve CDU.
Um abraço