quinta-feira, setembro 24, 2009

Solidariedade



O Presidente Manuel Zelaya regressou ontem às Honduras.
Fê-lo clandestinamente, como é óbvio, e perante a incredulidade do fascista Micheletti.
Este, começou por negar, com a arrogância provocatória que lhe é característica, a presença do Presidente legítimo nas Honduras, assegurando que Manuel Zelaya - que designou como «terrorista mediático» - se encontrava «numa suite de um hotel da Nicarágua».
Depois, foi obrigado a reconhecer a presença do Presidente Manuel Zelaya nas Honduras, na Embaixada do Brasil - às imediações da qual começaram a acorrer milhares de pessoas manifestando o seu apoio ao Presidente legítimo.
Dirigindo-se aos seus apoiantes, o Presidente Zelaya afirmou:
«Quero dizer-vos que estou comprometido com o povo hondurenho e que não descansarei nem um dia, nem um minuto, até afastar a ditadura do poder. A partir de agora ninguém me tirará daqui, pelo que a minha posição é: pátria, restituição do poder, ou morte».
E aludindo à resistência heróica do povo hondurenho, o Presidente disse: «Somos um povo unido e somos, por isso, um povo vencedor»
Entretanto, o fascista Micheletti decretou o estado de sítio e forças militares à sua ordem intimaram os manifestantes a afastar-se quer das imediações da Embaixada do Brasil quer da sede da ONU, onde também estão concentradas milhares de pessoas.
Os manifestantes recusaram-se a cumprir as ordens e declararam que vão manter-se ali.
Quer isto dizer que a luta do povo das Honduras pelo restabelecimento da democracia entrou agora numa nova e mais avançada fase - só possível, recorde-se, porque o povo resistiu e não parou de se manifestar um único dos 86 dias passados desde o golpe fascista.
Quer isto dizer, também, que a solidariedade com a luta do povo hondurenho é agora ainda mais necessária e premente.
(retirei daqui)
Há momentos em que nos curvamos perante os homens!
Faço-o perante o PRESIDENTE Manuel Zelaya e o povo hondurenho!
A SOLIDARIEDADE não é uma palavra vã!

4 comentários:

NoGuerra disse...

Algo muito importante para aquele povo... e para quem assiste de longo. Devemos lutar sempre pelo que achamos correcto!

Abreijos grandes****

São disse...

De mão dada contigo, me curvo também!

Bem hajas, minha querida.

Beijinhos para ti e para a Princesa.

Maria disse...

Toda a solidariedade é necessária. Tenho uma preocupação enorme sobre o que pode acontecer - já estará a acontecer - e lembro-me tanto do Chile...

Talvez nos vejamos logo. Quem sabe...

Beijos e um abraço, Amigona

greentea disse...

solidariedade parece que é uma palavra q saiu do dicionário ...
e muitos já esqueceram o q por cá ia há 40 anos !!

bjinhos a ti