quarta-feira, maio 07, 2008

Vida



Já perdoei erros quase imperdoáveis, tentei substituir pessoas insubstituíveis e esquecer pessoas inesquecíveis.


Já fiz coisas por impulso, já me decepcionei com pessoas quando nunca pensei me decepcionar, mas também decepcionei alguém.


Já abracei para proteger, já dei risada quando não podia, já fiz amigos eternos, já amei e fui amado, mas também já fui rejeitado, já fui amado e não soube amar.


Já gritei e pulei de tanta felicidade, já vivi de amor e fiz juras eternas, mas "quebrei a cara" muitas vezes!


Já chorei ouvindo música e vendo fotos, já liguei só para escutar uma voz, já me apaixonei por um sorriso, já pensei que fosse morrer de tanta saudade e...



Tive medo de perder alguém especial (e acabei perdendo)! Mas sobrevivi! E ainda vivo! Não passo pela vida... E você também não deveria passar.



Viva!!!Bom mesmo é ir a luta com determinação, abraçar a vida e viver com paixão, perder com classe e vencer com ousadia, porque o mundo pertence a quem se atreve e A VIDA É MUITO para ser insignificante"

Charles Chaplin

26 comentários:

Maria disse...

Já li este texto dezenas de vezes, acho-o sempre excelente...
Era enorme, Charles Chaplin...

Obrigada, Amigona.
Beijos......

elvira carvalho disse...

Também já o li várias vezes, mas há alturas em que me faz falta relê-lo.
Um abraço

tulipa disse...

Olá Amigona Avó
a sua amiga está doente, nada bem...mas ainda arranja umas forças para postar.
Se quiseres podes visitar o meu novo blog de fotos, acabei de fazer uma postagem ainda fresquinha...

Parabéns pelo prémio da «bicicleta» acho-o LINDO, todo primaveril. Tu bem o mereces.

Passo para deixar um beijinho.

Carminda Pinho disse...

Amigona,
ler este texto de Chaplin é um belo incentivo para agarrarmos a vida ainda com mais força e, determinação.
Um belo instante que partilhaste connosco. Obrigada.

Bjs

Sophiamar disse...

Minha Querida Amiga Grande

Já li este texto muitas, muitas vezes e a ele recorro em muitos momentos da vida. Obrigada, amiga!
A tua amizade, a tua força, as tuas palavras são-me indispensáveis.
Voltarei aqui, ainda hoje. Há espaços que não existem por acaso.

Bem hajas!

Mil beijinhos

Alma Minha disse...

Pode ser lido vezes sem fim...excelente!

Beijos

Olá!! disse...

Sempre actual este texto de CC.

Beijosssssssssss

Brancamar disse...

Olá querida amiga!
Sempre belo este texto!
A primeira vez que o li fiquei deslumbrada com o espírito de Chaplin, que imaginava diferente. Depois disso já vi outras coisas dele que me demonstraram tratar-se de um espírito superior. É aquele tipo de texto a que realmente precisamos e nos faz bem recorrer em muitos períodos da nossa vida. Um excelente incentivo.
Beijinhos para ti e para as tuas princesas, filha e neta.
Branca

Rose disse...

Amigona, é por essa razão da capacidade de um homem escrever assim que me levou á fazer um tributo.
Bjs.

Casemiro dos Plásticos disse...

Viver a vida é muito importante por isso devemos pensar primeiro em nós depois os outrs...
beijo e bom fds.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Amigona
Lindissímo. Sabe bem ler Chaplin. Ele era único. Subscrevo tudo. Não diria era tão bem.

Abraço

Sophiamar disse...

Querida Amiga Grande

Alguém dizia: Viver não custa. O que custa é saber viver. É tão difícil conciliar sentires e pensares diferentes e às vezes tão antagónicos. Continuo a defender a blogosfera dos afectos, sem ódios, nem rancores,com as minhas imperfeições inerentes à condição humana. Caminho no sentido que sempre me ensinaram.
Agradeço as tuas palavras, a tua simpatia , a tua amizade.
Mil beijinhos, amiga, irmã do coração.
Tem uma boa noite!

BlueVelvet disse...

Já li este texto tantas vezes, e sempre que o releio, encontro nele novo encanto.
Bola escolha, amigona
Dias felizes

Maria disse...

Olá Amigona
Bom dia!

Passei por aqui porque te sei a teclar a esta hora....
:)))))

Deixo-te um abraço enorme de BOM DIA!
e um beijo

Sophiamar disse...

Minha Querida Amiga Grande

Aqui estou a desejar-te um bom dia. Deixo-te um beijinho e um enorme abra�o. Do tamanho da amizade que te tenho.

Bem hajas!

missixty disse...

Excelente post e estou plenamente de acordo!

São disse...

Não conhecia o texto, que acho excelente!
Óptimo final de semana para ti e para a princesa!

Filoxera disse...

"Já chorei ouvindo música e vendo fotos, já liguei só para escutar uma voz, já me apaixonei por um sorriso, já pensei que fosse morrer de tanta saudade e...

Tive medo de perder alguém especial (e acabei perdendo)! Mas sobrevivi! E ainda vivo! Não passo pela vida... E você também não deveria passar."- estas são palavras que conseguem tocar-e sempre que as leio.
Faço tudo para não me limitar a passar pela vida.
Beijos, amiga.

Agulheta disse...

Amigona.
Conheço e li este texto,tem muito para pensar o que é a vida,a qual devemos dar tudo poela mesma e viver intensamente.
Beijinho bfs Lisa

Sophiamar disse...

Querida Amiga Grande

Apesar de ausente estás sempre no meu pensamento.
Creio-te atarefada como sempre.Continua minha amiga. Há sempre quem precise de nós e o tempo é curto.

Mil beijinhossss

Bom fim de semana!

elvira carvalho disse...

Passei por aqui. Na ausência de post novo, deixo o meu abraço e o desejo que esteja tudo bem consigo e com a princesa.
Bom fim de semana

aramis disse...

Minha querida amiga, venho agradecer e retribuir a tua visita! Es uma querida, lembraste sempre de mim...

Tens toda a razão neste post, vamos VIVER...
Um grande beijinho,

SILÊNCIO CULPADO disse...

Amigona
Vim deixar-te um abraço.

Su disse...

fez-me bem ler e reler

jocas maradas...sempre

poetaeusou . . . disse...

*
ainda cheguei a tempo,
soberbo . . .
,
conchinhas
,
*

António Inglês disse...

Amigona

Chaplin tinha uma maneira muito simples e clara de olhar a vida e a sua foi um exemplo de muitas das afirmações que faz realmente.
Costumo dizer que a vida é bela, a gente é que "lixa" ela.
Eu vou à luta todos os dias, umas vezes ganho outras perco. Nas que ganho, tiro disso proveito. Das que perco... também e levanto-me e volto a lutar...
Venho atrasado como de costume, mas raramente esqueço um amigo...
Um bom domingo
António