terça-feira, maio 20, 2008

FOME





Encontrei no Victor este texto sobre a FOME!

Só em Portugal são DOIS MILHÕES!

"
Portugal, a Europa e o Mundo atravessam uma profunda crise social, o que por ser já um lugar comum na comunicação social e no sentir das gentes não perde a importância e dramatismo que envolve.
Induzida pela crise social vive-se uma não menos grave crise de valores.
Como antes já escrevemos e continua com actualidade “conhece-se o preço de tudo e o valor de nada”.
Uma sociedade baseada na mais desenfreada especulação financeira, em que a distância entre os “muito ricos” e os “mais pobres” se acentua cada vez mais, é uma sociedade sem futuro.
Está na mão e no querer de cada um de nós e de todos colectivamente fazer inflectir este cego caminhar para o abismo social.
Portugal está a atingir em pleno século XXI, o século do saber partilhado e do grande desenvolvimento tecnológico, os índices mais elevados de carência alimentar dos últimos 30 anos, enquanto empresas, muitas delas ligadas a grandes grupos económicos multinacionais, continuam num escandaloso acumular de lucros a distribuir por um número restrito de pessoas.
São esses mesmos grupos que manipulam e controlam a situação geopolítica internacional por forma a apoderarem-se das principais fontes energéticas mundiais, especialmente, no âmbito dos hidrocarbonetos.
E neste entretanto, uma faixa cada vez maior da população portuguesa, para já não falar de Europa e do Mundo, vive em permanente carência alimentar, chamemo-lhe FOME sem receio da dureza da palavra, agravada por condições sub-humanas de habitação e impedimento real de acesso ao ensino.Josué de Castro que foi presidente do Conselho da F.A.O. (Organização da Alimentação e da Agricultura das Nações Unidas) entre 1951 e 1955 dá conta das dificuldades à época para lutar contra a situação calamitosa que conduzia a que 2/3 da população mundial vivesse em estado de subalimentação real:
“...E durante esses quatro anos pudemos comprovar como é difícil vencer as resistências impostas pelos interesses particularistas dos países e dos grupos económicos...”.
Mais de cinquenta anos volvidos a situação e os entraves mantém-se, se é que se não agravaram.
Como escreveu Manuel Jacinto Nunes “Não é preciso afirmar, como Josué de Castro, que “a fome é um flagelo criado pelo homem”, basta afirmar que “a fome é um flagelo consentido pelo homem” para que se tenha que considerar como um dos objectivos fundamentais da humanidade a extinção desse flagelo”.
Recomendação de leitura: “Humanidade, FOME e Subsistências”, Associação de Estudantes de Ciências Económicas e Financeiras, 1965"
(sublinhados e destaques da minha autoria)

22 comentários:

São disse...

Estou muda de indignação, desculpa-me!!
Abraço-te e à princesa!

Sophiamar disse...

Um post excelente. Estamos à beira da maior crise económica dos últimos dois séculos e a passar por uma crise de valores de que não há memória, que muito me indigna, mas não deixarei de lutar porque a minha força ainda fica mais acicatada.Como se pode aceitar que falte poder de compra, pão na mesa, habitação a uns e excesso na mesa de outros?
Escrever-te-ei em breve. Dá-me tempo.

Beijinhos

Alma Minha disse...

Esta frase diz tudo...
"conhece-se o preço de tudo e o valor de nada"

Bom fim de semana
Beijo

Olá!! disse...

Quando os bens básicos começam a faltar no nosso país é sinal que está tudo pior do que pensavamos...
Uma lástima... um degredo.

***

Bichodeconta disse...

Infelizmente esta catástrofe parece abater-se por todo o mundo..A miséria aumente o que deve ser motivo de vergonha para todos nós.. Um beijinho, ell

Filoxera disse...

E vai aumentando, o número de famílias em situação de carência...
Beijos.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Amigona
É um excelente texto com verdades conhecidas mas que é bom realçar. Porque este mundo é tão injusto que as 500 maiores fortunas consomem a riqueza equivalente a 416 milhões dos mais pobres. Repito os quinhentos mais ricos gastam os recursos de quatrocentos e dezasseis milhões dos mais pobres. Não, não há engano.
Temos que fazer algo. Não podemos pactuar com uma realidade tão cruel.
Denunciar é um princípio.
Obrigada minha querida por o teres feito.

Abraço

Agulheta disse...

Amigona.
Grande chamada de atenção para este problema,muita gente passa fome,e como nada muda para melhor cada vez será pior,enquantos uns engordam outros emagrecem.
beijinho Lisa

Lisa's mau feitio disse...

Querida Avó,
peço desculpa pela ausência. sei que tenho falhado. Mal tenho visitado blogs, mas realmente o seu tem sido muito prejudicado e bem sabe como adoro vir deixar sempre um mimo e um carinho...

Qto ao assunto do post... Tenho deitado muita lágrima relacionada com esse assunto...

Sei que sou egoísta com o que vou dizer... Mas é a minha verdade, por mais mesquinha que seja... Eu preocupo-me tanto que algo alimentar falte ao meu menino que vivo vidrada nisso. sei que há gente pior do que nós. Sei que essa fome não nos chegará - só se alguma calamidade colectiva surgir.

Mas tb não me aflijo muito com este meu mísero ponto de vista pq, na verdade, quando é preciso dar, reflectir e ajudar eu estou lá!

Avó, tenho tantas saudades dos tempos em que blogavamos tanto... Mas o tempo é pouco e há problemas que se acumulam por cá...

Ontem fiz anos. Fui almoçar com a tia Brancamar ao Restaurante Chinês. Foi tão bom... Qdo vamos almoçar nós?:)

Mil beijinhos! Mil, minha doçura linda...

(Hoje quem sai a chorar daqui sou eu...)

Lisa

Laura disse...

Querida amiga, neste momento há muita gente que pode ajudar o seu vizinho a minorar a sua carência alimentar e mesmo aqui vê-se quem tem muito e estraga e quem nada tem e ninguém os ajuda..O governo é o primeiro a virar costas e há sempre leis e mais leis que não ajudam antes pelo contrário... Quem me dera ter poder mas..sou uma migalhinha de nada que nada pode fazer, rezo todos os dias para que Deus nos ajude a melhorar o mundo especialmente a matar a fome para que isso deixe de existir seja lá onde for...mas, o homem é ganancioso e só quer acumular, vivem em casas que até deviam ter vergonha de lá viver ao ver a desigualdade que há entre as casas deles e as barracas dos mais miseráveis!...Mas não! Pensam que são bafejados pela sorte e por Deus, e que os miseráveis se assim estão é porque merecem..ah, corações arrogantes que mais dia menos dias vereis a vossa sorte mudar e então no sofrimento olhareis para os que fizestes sofrer por não os ajudar...mas, demora tempo!...
Conheço pessoas que não foram capazes de estender a mão ou nem que fosse, seria apenas assinar um papel e a pessoa ficaria melhor, mas não!... e estão tão bem na vida!...
Que o mundo se transforme depressa no maior celeiro jamais visto e que chegue a alimentação a todos os lares e nunca mais se use a palavra FOME...
Bonito post minha amiga. Deixo um beijinho paras as duas meninas lindas...laura..

São disse...

Viva, linda!
Tenho algo para ti lá em casa.
Feliz feriado.

Casemiro dos Plásticos disse...

é triste mas é bem verdade, infelizmente e nada muda...
beijo e bom feriado.

Fatima disse...

Esta é uma realidade que cresce dia a dia em Portugal. É triste, muito triste!

BlueVelvet disse...

Esta triste realidade já era por mim conhecida, mas os números deixados pela Silêncio Culpado deixaram-me sem palavras.
Estou muda de indignação.
Veludinhos azuis

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querida Amiga, este texto demontra bem, aonde já chegou este País, é como diz a Lídia, temos que fazer algo, cabe a todos nós contribuirmos, para o nosso País e um mundo melhor... Beijinhos de muito carinho Amigona,
Fernandinha

António Inglês disse...

Bom dia amigona

Se pensava que me tinha "raspado" daqui enganou-se. Estive de quarentena curando algumas maleitas menos desejadas mas tudo se cura.
Infelizmente, vivo numa terra que sendo conhecida como o "Bidé das Marquesas" pelo facto de muitas famílias "de bem" para cá virem passar férias, não deixa de ser a terra do Concelho mais carenciada. E o mais grave é que existe já muita pobreza envergonhada o que torna as coisas ainda mais complicada.
Precisamos todos de olhar para o lado e dar-mos uma mãosinha.
Um abraço
António

Rosa Maria disse...

São realidades destas que nos envergonham...

Bom fim de semana.
Beijos

Maria disse...

Minha Amigona

A gente sabe, a gente ouve, a gente conhece.
Ler assim, nú e cru, dói muito.
Este teu post deixou-me sem palavras...

Beijos e um abraço daqueles

samuel disse...

E como alguém disse, "para o triunfo do mal, basta que os bons não façam nada."
Bom post!

Abreijos

Espaço do João disse...

Quando ouço falar em fome, lembro-me do nosso poeta António Aleixo.
O pão que sobra á riqueza
Destribuido pela razão.
Matava a fome à pobreza
e, ainda sobrava pão.

elvira carvalho disse...

Um texto de arrepiar, tanto mais que todos sabemos que é a realidade.
Um abraço

Victor Nogueira disse...

Olá Amigona :-)
Pois ... e já visitaste o Victor do http://www.blogger.com/profile/13759238536489604722
e as suas crias, como
http://kantoscriptoriumindex.blogspot.com/
ou
http://daliedaqui.blogspot.com/
ou
http://mundophonographo.blogspot.com/ entre outras?
Beijo Grande e fraterno, seja ou não em Cristo
Victor Nogueira