terça-feira, dezembro 01, 2009


Dezembro começou...o Natal está aí...mais uma vez a loucura dos centros Comerciais a abarrotar e as pessoas a comprar o que têm e não têm, precisam e não precisam!
Cada vez mais o faz-de-conta...eu dou porque me dão, não posso esquecer tal e tal pessoa porque parece mal...
Cada vez mais as lojas estão cheias de coisas que só alguns podem comprar...
A fome, a miséria e a guerra continuam...em cada 3 minutos morre uma criança com FOME! Mesmo no Natal!

12 comentários:

Isamar disse...

Continuamos a errar, a esquecer que Natal é dádiva, é entrega, é servir e cada vez mais obedecemos aos ditames comerciais. O consumismo que mais não é do que desperdício de tempo e dinheiro poderia ser encaminhado no sentido da partilha com aqueles que pouc ou nada têm em termos sociais ( solidão) e económicos.

Bem-hajas, amiga, por mais um apelo ao bom senso e ao altruísmo de que tantos carecemos.

Beijinhos mil

Maria disse...

Não pactuo com datas. As crianças que conheço têm brinquedos a mais. Melhor seria se parássemos todos um pouco para pensar no que podemos fazer (mais ainda) para acabar com a fome no Mundo. Isso seria, seria um bom espírito natalício...

Beijos, querida Amigona

São disse...

Minha querida, continuas fiel a ti própria e é por isso que gosto de ti!

Bem hajas!

João Menéres disse...

REFLECTIR. REFLECTIR. SEMPRE REFLECTIR.

Dos alimentos (e outras dádivas) que são doados para África e outros destinos, quantos chegam aos destinatários carenciados?

Um exemplo, perto de nós: O problema da atribuição de casas sociais. Veio a lume, recentemente, o que se passou (e passa) em Lisboa.
Que pensar?
Não acrescento mais nada, pois li o "desabafo" de uma das vítimas da Casa Pia.
Onde está Portugal, essa espantosa Nação nascida por vontade férrea e respeitada por todo o mundo há quinhentos?
Portugal, para onde foste?

Um beijo, ROSÁRIO (tens um lindo nome!).

elvira carvalho disse...

O Natal para mim não são as prendas.
O Natal é o espírito de união nas famílias e não só. Vou contar-lhe como era o meu Natal.
Quando eu era menina (e já lá vão tantos anos) não sabia nada do Pai Natal. Meus pais, meus avós diziam que na noite de Natal o Menino Jesus vinha recompensar os meninos bons e trazer presentes. Nós vivíamos num barracão de madeira que em tempos fora habitado por 4 casais e respectivos filhos, mas no qual ficara apenas os meus pais, quando os outros casais se foram. O barracão tinha um salão com 11 metros ao fundo do qual tinha um fogão, constituído por duas fileiras de tijolos com uma grelha em cima, e um forno de tijolo onde minha mãe cozia o pão.
Pelo Natal todos os anos vinham meus avós do Norte e se juntavam lá em casa com alguns dos filhos, - meus tios.
Não havia rádio, nem TV, nem sequer luz eléctrica. Mas haviam 3 candeeiros a petróleo, que na noite de Natal ficavam acesos até depois da meia noite. Antes do Natal. meu pai colhia no pinhal perto da nossa casa, muitas pinhas, que debulhava. Partia alguns pinhões para comermos e os outros eram para jogarmos. Ele mesmo fazia uma piorra com o Rapa Tira Põe e Deixa. E era o nosso entretém.
Pelas 10 horas, meu pai dizia que tínhamos de ir para a cama e mandava-nos pôr os tamancos junto ao fogão para o Menino Jesus deixar os presentes.
E nós lá deixávamos os tamanquitos e íamos para a cama na esperança de que nesse ano o menino Jesus deixasse uns brinquedos iguais aos dos filhos do capitão que geria a Seca do Bacalhau.
Mas no dia seguinte era sempre a mesma coisa. Uma tremenda decepção, pois lá só havia meia dúzia de rebuçados e dois ou três figos secos. Lembro-me que um ano, decidi esperar acordada a chegada do Menino Jesus para lhe perguntar porque é que deixava lindos brinquedos aos filhos do capitão que eram meninos ricos a quem não faltava nada e a nós que éramos tão pobres que não tínhamos nada só deixava rebuçados.
Consegui manter-me acordada e quando ouvi barulho, levantei-me e apanhei a minha mãe a pôr os rebuçados nos tamancos.
Fiquei tão revoltada, pensei que o Menino Jesus não queria saber de nós, fartei-me de chorar, e foi a
minha avó que para me acalmar, me explicou que o Menino Jesus não vinha dar prendas a ninguém que era uma tradição dizerem isso porque fazia anos que Ele nascera, mas que na verdade as prendas eram dadas pelos pais e os meus não tinham dinheiro que desse para outra coisa que não os rebuçados.
Foi um choque e um alivio ao mesmo tempo.
Um abraço

Paula disse...

As grandes realidade que o resto do mundo tenta abafar...é trsite realmente!

Beijocas Natalícias amigona***

Alma Minha disse...

Pois... nem o Natal pára o sofrimento!

Beijo grande

Filoxera disse...

Pois... acho que nesta altura as pessoas alheiam-se ainda mais disso.
:-(
Um beijo.

heliojumeudoce disse...

Porque será que o ser humano continua a caminhar em frente.
Esquecendo que nada trazemos para este mundo e nada levamos!!!
Natal é tempo de paz de união afecto carinho, mas acima de Tudo natal é o nascimento de que nos deu o ser.
Natal é todos os dias basta o homem querer, basta o seu coração estar preparado para tal acto. Dar e receber amor. Nada mais.
Os bens matérias esse ficam cá...
Um Santo e Feliz Natal para todos:)

Obrigado pelo seu coment no meu blog.
Gostei muit do seu Um terno beijo:)

tulipa disse...

Minha Querida
todos os anos passo por má e insensível quando demonstro os meus ideais nesta época do ano - sou totalmente "contra" a solidariedade apenas nesta época do ano; eu faço solidariedade todo o ano e por isso me irrita esta fase hipócrita de milhares de pessoas, não alinho, mas também não manifesto mais publicamente (no blog) isso.

Há blogues que não morrem nunca...é o caso do meu "KALINKA"
Ainda hoje pessoas se dirigem a mim chamando-me "kalinka", ficou o nome associado a mais de 3 anos de existência do 1º blog que tive.
Nunca eliminaria nem fecharia as portas do kalinka, pois no meu modo de ver, os blogues são como um diário onde eu me confesso e faço confidências do meu estado de alma; muitas vezes me apetece ir lá relembrar coisas passadas.
Que saudades!!!
Há coisas assim, com um carisma tão grande que toda a gente se lembra delas, nem todos gostam mas todos se lembram. E...marcam fases importantes das nossas vidas. Porque me fui lembrar agora do kalinka, que terminou em Março de 2008...?
...
Beijinhos.

Anónimo disse...

Natal é quando um Homem quiser….
O cinismo a todos os níveis também é muito…
TU também contribui voluntariamente pela luta de certos ideais, que também
necessita de verbas para “sobreviver” …E TANTAS CRIANÇAS A PASSAR FOME …

Anónimo disse...

Natal é quando um Homem quiser….
O cinismo a todos os níveis também é muito…
TU também contribuis voluntariamente pela luta de certos ideais, que também
necessita de verbas para “sobreviver” …E TANTAS CRIANÇAS A PASSAR FOME …