sexta-feira, julho 24, 2009

Egoísmo


(imagem da net)
Sentado à minha frente o filho (homem de cerca de 50 anos cuja mãe teve um AVC e ficou acamada) desabafou:
- Veja bem, logo agora que eu tinha este mês para ir com as minhas netas à praia, tenho que ficar em casa a tomar conta da minha mãe!
Olhei para ele e, por segundos, nem soube bem que dizer! Depois perguntei:
- Olhe Sr Jorge sabe dizer-me as vezes que a sua mãe não pôde sair porque teve que ficar em casa a tomar conta de si?!
É mais um episódio do nosso quotidiano...mas não consigo lidar bem com o egoísmo e ingratidão...

17 comentários:

Maria disse...

Como te entendo...
E sem mais palavras deixo-te beijos, com saudades.
e o nosso abraço...

Agulheta disse...

Olá amiga. Cada vez será mais este triste episódio,os valores da sociedade estão perdidos,poucos serão os que vamos aproveitar.
Beijinho bfs

Isamar disse...

Um triste episódio que não merece comentários. Que egoismo atroz! Que revolta sinto dentro de mim, amiga,quando ouço estes imbecis.

Mil beijinhos

Bem-hajas!

salvoconduto disse...

E fazes muito bem, porque só de ler o post fiquei com azia, quanto mais se me dissessem essas palavras presencialmente...

Professorinha disse...

Às vezes as pessoas não pensam nem medem o que dizem... Porque eu acho que esse senhor ama a mãe dele, se não não ficaria em casa a tomar conta dela... Falou sem pensar... quero acreditar nisso..

Bjs

Alice Matos disse...

Eu também não lido nada bem com qualquer espécie de egoísmo...
Resta-nos a esperança de ter sido apenas um infeliz desabafo...

Beijinhos...

elvira carvalho disse...

O fim da vida vai ser cada vez mais triste. Os avanços da medicina aumentam a esperança de vida, e simultâneamente aumentam o tempo de solidão, isolamento, tristeza. Infelizmente o Sr Jorge não é caso único. O país está cheio deles.
Um abraço e bom fim de semana

tulipa disse...

OLÁ AMIGONA AVÓ

HOJE É O "NOSSO DIA"
PARABÉNS.

Vou passando e deixando umas palavrinhas, tu é que não voltaste a visitar-me.
Da ultima vez que cá estive deixei este recado:

Aqui a "JE" através do meu blog "Momentos Perfeitos" resolveu dar-te 2 "Miminhos".
Aceitas?
Espero que sim.
TU MERECES.
Vem buscá-los.

Óptimo domingo e excelente semana.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Amigona

Com egoismo e ingratidão eu também não lido bem.
Mas minha querida tens a certeza que aquela mãe se privou de sair para cuidar do filho Jorge? É que nem todas as mães fizeram entregas por completo e por vezes esperam dos filhos aquilo que nunca lhes deram.
Não estou a justificar o Sr.Jorge nem por sombras. É só um pequeno reparo.


Abraço

elvira carvalho disse...

De uma avó para outra, um abraço especial neste nosso dia...

ARTEMINORCA disse...

É verdade sim, minha amiga! O egoísmo é demasiado... e à descarada. As pessoas já nem se acanham de fazer esse tipo de comentários. Abraço bem solidário!!!

SILÊNCIO CULPADO disse...

Amigona

Eu sei, minha querida, que vivemos numa sociedade desumanizada, em que tudo o que foge à norma-padrão do bonito, agradável, prestável e consumível, é sobrante a deitar para o lixo.
Eu sei que, nessa missão a que te dedicas, encontras muita ingratidão e crueldade para com os idosos e admiro a força com que lutas contra tudo isso.

Abraço

Filoxera disse...

Não tenho palavras porque se me gela o sangue.
Vários cancros, um AVC, Alzheimer, mortes mais ou menos precoces fazem-me valorizar a vida ao infinito. E a vida dos nossos pais, então, é algo de valioso demais. Sei que é assim, pois nos últimos anos de vida do meu pai, quando a minha mãe, já com passado cancerígeno e um AVC recente, teve de tomar a dolorosa decisão de o levar para um lar, apercebemo-nos que o meu pai tinha visitas diárias, mas eram muitos os outros utentes que quase nunca tinham, infelizmente.
Tornei-me amiga de alguns. Adoro conversar com pessoas de idade. Mas admiro quem consegue fazer disso profissão. É louvável!
Um beijo.

Vieira Calado disse...

O que a mim me parece

é que o egoísmo e a ingradidão,

neste país,

vão de vento em popa...

Cumrimentos meus

Hindy disse...

Ingratidão é uma coisa tão feia...

Um beijinho hindyado

José Teles disse...

Pois fazes muito bem colocar aqui essa/s vivência/s.
As pessoas têm que ser confrontadas com o "mundo real" em que vivemos, têm que ser "abanadas".

Teresa David disse...

Em contrapartida eu que estive no ano passado quase morta, tenho agora a viver comigo a minha mãe de 91 anos que não é nada facil de gerir, mas nunca conseguiria deixar de apoiá-la.
Bjs
TD