segunda-feira, agosto 25, 2008

Adeus


Foi embora mais uma das minhas "meninas"... no mês passado tinha ido outra...e por mais "normal"que seja esta situação (quem trabalha diariamente com idosos aprende a tratar a morte por tu com naturalidade...) custa sempre, sempre dizer-lhes ADEUS...

14 comentários:

Sophiamar disse...

Apesar de ser o caminho natural de todos nós nunca estamos preparados. Instala-se um vazio, a dor da partida faz-se sentir por mais " natural" que a sintamos.

Mil beijinhos doce amiga grande.

Bem hajas!

Alfazema Azul disse...

Voltei para falar das minhas gentes, da minha terra, das memórias vivas e reais que perduram na minha alma e no meu coração.

Beijinhos mil

Filoxera disse...

Eu sei...
Um xi apertado.

Maria disse...

E não adianta dizer que é a lei da vida, porque nunca há leis mais difíceis de ver cumprir do que as da vida, ou da morte...
Estou contigo, querida Amigona.
Especialmente contigo, hoje.

Um abraço com muito carinho
e beijos

salvoconduto disse...

Felizes daqueles que te têm por perto.


Abreijo

BlueVelvet disse...

Não tenho muitas palavras, excepto as de admiração pelo trabalho que desenvolve.
Beijinhos

pikenatonta disse...

Custa sempre... É um trabalho admirável sem dúvida...
Beijinho grande ***

poesianopopular disse...

Não te cances de praticar, o bem amiga, todos caminhamos para a mesma méta, só que nesta corrida ninguém quer chegar primeiro.

Susete Evaristo disse...

Amiga só posso mandar-te um grande abraço e desejar muita força para essa tarefa a que te dedicas com tanta paixão.

Fernanda disse...

Ola.. ao ler esta tua mensagem do adeus por alguns momentos passaram-me muitas recordacoes pela mente, eu tb ja trabalhei com idosos e lembro-me de sentir exactamente o mesmo que tu sentes. Embora neste momento nao esteja mais nesse trabalho confesso que tenho muitas saudades e realmente adorei esse trabalho. Lembro-me que no inicio apegava-me mesmo muito aos velhinhos, alguns eram muito amorosos e no fim acabava por sofrer, quando chegava o seu momento de partida, as vezes e ate de maneira repentina. Ate que decidi fazer tudo por eles mas sem me agarrar tanto sentimentalmente.Continuei a sentir-me util e senti que estava a fazer a minha parte para ajudar a humanidade, nao se tratava so de dinheiro, e acho que foi gratificante, pois nao temos de esquecer: para alguns dos idosos somos nos os funcionarios ajudantes, etc a "SUA FAMILIA"
bjs e parabens pelo magnifico trabalho que fazes e quem diz que nao precisa de ninguem engana-se pois todos dependemos uns dos outros..

Ovinho Estrelado disse...

Ficou o céu mais rico...

Dois beijos para si daqui até ao céu...

**

Anónimo disse...

forte e apertado abraço!

vovó Maria

Músico Guerreiro aka Melões disse...

Tu sao velhinhos, eu sao criancas, mas custa sempre e muito, e apesar de tratarmos a morte por tu, nunca fica mais facil.
Beijos

SILÊNCIO CULPADO disse...

Amigona

Entendo.


Beijos